Ipea eleva previsão para o crescimento do PIB agropecuário em 2020

Por G1

 

O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) elevou para 1,9% a estimativa de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) da agropecuária brasileira em 2020. A projeção anterior era de alta de 1,6%, informou o órgão nesta quinta-feira (22).

A revisão veio após o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) traçarem expectativas mais positivas para as lavouras do país.

soja e o café são as duas principais culturas que contribuíram para o aumento da projeção.

A safra de soja, por exemplo, teve seu crescimento revisado de 6,6% para 7,0%. Já no caso do café, a estimativa de alta para a produção foi subiu de 19,4% para 21,5%.

Além do ano ser favorecido pela bienalidade positiva do café, em especial da variedade arábica, o clima é um dos fatores que tem contribuído para o bom resultado da cultura este ano.

Com isso, no total, o Ipea prevê crescimento de 3,9% para as lavouras.

Safra de grãos deve bater novo recorde em 2020/2021, segundo Conab

Já as expectativas para a pecuária são negativas. O instituto estima queda de 1,5% para o setor, devido à forte queda da produção de carne bovina este ano.

Por outro lado, o Ipea afirma que o setor começou a se recuperar a partir do terceiro trimestre de 2020, com a produção média passando a ficar acima do patamar pré-Covid, nos primeiros três meses do ano.

“Dessa forma, projeta-se que, já no quarto trimestre, a queda interanual da produção de carne bovina deve ser menor, fechando o ano com recuo de 4,3%. Há expectativa de desempenho positivo nos segmentos de suínos (+ 7,8%), ovos (+3,2%) e leite (+0,2%)”, afirma o instituto.

As projeções para 2021 também foram revistas. A estimativa de crescimento do PIB agropecuário caiu de 2,4% para 2,1%, por conta das estimativas mais otimistas para as safras de soja e de milho deste ano.

Isso acaba aumentando a base de comparação e é um indicativo de que, devido ao cenário mais favorável, parte da produção dessas culturas deverão ser antecipadas do início de 2021 ano para o final de 2020.