Manejo correto de adubação fosfatada pode reduzir custo do produtor

Eficiência do uso de fertilizantes com fósforo (P) é considerada baixa no país.

Especialistas calculam que, nas últimas três décadas, os agricultores do Brasil tenham lançado, em terras com plantios de grãos, 300 quilos de fósforo por hectare a mais, o equivalente a dez quilos por hectare a cada ano. Isso significa um excedente de R$ 54 bilhões em relação ao que é recomendado para corrigir o solo.

De acordo com pesquisadores da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) – Unidade Cerrados (DF), a eficiência do uso de fertilizantes com fósforo (P) é considerada baixa no país, principalmente por causa do manejo inadequado do solo e de problemas ligados à adubação, especialmente a fosfatada.

“A adubação fosfatada é uma prática agrícola que consiste em aplicar fertilizantes fosfatados ao solo, para tornar produtivos aqueles naturalmente pobres em fósforo (adubação corretiva) ou para manter a produtividade de solos já corrigidos (adubação de manutenção), suprindo a demanda da planta a ser cultivada em uma propriedade”, explica o químico Djalma Martinhão Gomes de Sousa, pesquisador da Embrapa Cerrados e mestre em Ciência do Solo.

Sousa alerta para a redução desse gasto com fertilizantes pelo produtor rural, que pode ter um impacto bastante positivo no custeio da lavoura, na medida em que o que se gasta com fósforo representa 20% do valor do custo produtivo. Para ele, esse tema se torna ainda mais importante, pois tem se observado, nos últimos anos, um aumento de preços dos fertilizantes fosfatados.

O especialista ainda compara: “Enquanto o calcário custa 50 reais a tonelada, o fertilizante fosfatado custa R$ 1,5 mil, ou seja, 30 vezes mais”.

 

DIFERENÇA DA APLICAÇÃO DE FÓSFORO E DE CALCÁRIO NO SOLO

O pesquisador explica que o calcário age no solo como um corretivo de acidez, sendo também supridor de cálcio e magnésio para as plantas: “A aplicação do calcário ao solo aumenta a eficiência do uso dos fertilizantes, com destaque para os fertilizantes fosfatados, devido ao melhor desenvolvimento das raízes das plantas, pois corrige o alumínio tóxico e fornece cálcio e magnésio, condições essenciais para o bom desenvolvimento da planta”.

 

Fonte: http://www.uagro.com.br/editorias/agricultura/2017/04/17/manejo-correto-de-adubacao-fosfatada-pode-reduzir-custo-do-produtor.html / Uagro com informações da SNA